Farmácia de Minas

Em 2008, a Farmácia de Minas selecionou 67 municípios de até 10.000 habitantes.  Esta estratégia leva em consideração a dificuldade desses municípios em conseguir a fixação de profissionais farmacêuticos qualificados, o maior gasto per capita com medicamentos, a existência de serviços menos estruturados e ao mesmo tempo uma alta taxa de cobertura do Programa de Saúde da Família.  Os municípios selecionados estão recebendo do Tesouro Estadual um incentivo de até 90 mil reais para construção da Farmácia e aquisição de equipamentos, 13 parcelas mensais de R$ 1.200,00 para complementação salarial do profissional farmacêutico responsável pela unidade da Rede Farmácia de Minas.  

Estes municípios receberão ainda um software, o Sistema Integrado de Gerenciamento da Assistência Farmacêutica (SiGAF), que ajudará no gerenciamento da Farmácia bem como de toda a rede.

As Unidades da Rede Farmácia de Minas dispensarão gratuitamente à população, medicamentos para atenção primária, vinculados à prestação de serviços farmacêuticos, possibilitando uma integração maior com os outros serviços de saúde oferecidos no município e nas regiões de saúde do estado de Minas Gerais.
Em relação aos medicamentos de alto custo, esta Secretaria prevê a reestruturação das farmácias situadas nas Gerências Regionais de Saúde, locais de dispensação desses medicamentos, vinculada à qualificação do serviço por meio da implantação do SiGAF - Medicamentos de Alto Custo, e a humanização das farmácias existentes.

A Rede Farmácia de Minas consiste na definição de um modelo de assistência farmacêutica no SUS do estado de Minas Gerais, onde a farmácia é reconhecida como estabelecimento de saúde e referência de serviços farmacêuticos para a população cadastrada.  Dentro desta perspectiva a Rede Farmácia de Minas é dividida em três componentes: Medicamentos para Atenção Primária à Saúde, Medicamentos de Alto Custo e Farmácia de Minas: Medicamentos Estratégicos.